Seis pessoas da mesma família morrem em acidente entre dois veículos na BR-386, em Soledade

Seis pessoas de uma mesma família morreram em um acidente envolvendo dois veículos, na BR-386, em Soledade, no Norte do Rio Grande do Sul, na madrugada desta sexta-feira (30). De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal, o motorista do outro veículo estava sem cinto de segurança e foi arremessado para fora do carro.

Ele foi levado para o Hospital São Vicente de Paulo, em Passo Fundo, em estado grave, passou por uma cirurgia e está na ala de recuperação. No entanto, segundo informa o hospital, ele está fora de perigo e deve ir para o quarto entre a noite desta sexta e a manhã de sábado. Segundo a PRF, ele é de Soledade e tem 34 anos.

Segundo a Polícia Civil, entre os mortos estão o condutor do Peugeot 207, Everton da Silva Geraldi, de 36 anos, a esposa dele, Jaqueline Amaral Geraldi, de 39 anos, o filho do casal, Lorenzo Geraldi, de 6 anos, o pai e a mãe do motorista, Ivanir Geraldi, 61 anos, e Ana Lúcia da Silva, 55 anos, respectivamente, e ainda o tio do condutor, Juarez Geraldi, de 47 anos.

Eles eram moradores de Canoas. A PRF informou que todos os ocupantes do banco de trás do veículo estavam sem cinto de segurança, incluindo a criança, que não estava na cadeirinha.

A colisão aconteceu no quilômetro 236 da rodovia, por volta das 4h. O carro da família, um Peugeot 207, com placas de Porto Alegre, trafegava no sentido Capital-Interior quando teria invadido a pista contrária. O veículo bateu de frente com um Volvo, com placas de Bento Gonçalves, na Serra.

A pista ficou bloqueada por cerca de cinco horas, e foi liberada por volta das 9h30.

Acidente entre dois veículos deixa mortos na BR-386, em Soledade

Ocupante do outro veículo foi levado para o hospital em estado grave. — Foto: Juliano Castro/RBS TV

Ocupante do outro veículo foi levado para o hospital em estado grave. — Foto: Juliano Castro/RBS TV

Acidente acontecei por volta das 4h, na BR-386. — Foto: Polícia Rodoviária Federal/Divulgação

Acidente acontecei por volta das 4h, na BR-386. — Foto: Polícia Rodoviária Federal/Divulgação

fonte – G1

‘Achei que ela iria ressuscitar’, diz filho de idosa que pode ter sido velada ainda viva em Bagé

A família de Rosaura Vaz, de 80 anos, que foi velada por cerca de oito horas até ser levada de volta ao hospital, após seus familiares suspeitarem que ela estava viva, espera por respostas e esclarecimentos. O caso aconteceu na manhã da última terça-feira (20), em Bagé, fronteira do Rio Grande do Sul com o Uruguai.

“Achei que, levando para o pronto-socorro, ela iria ressuscitar. Todo mundo ficou eufórico. Ali me causou alegria”, disse ao G1 Jesus Alberto Chaves, um dos filhos de Rosaura.

A família, que havia feito uma visita à idosa, ficou surpresa com a morte dela, na noite de segunda-feira (19).

“Estive horas antes [da morte] com a minha mãe. Ela estava super bem, com alta prevista para o dia seguinte, fazendo planos para sair. Até conversei de fazer um churrasco”, comenta.

Poucas horas depois da visita, a família foi avisada de que ela havia falecido. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal e, depois, levado à sala funerária, onde iniciou o velório, no início da madrugada de terça-feira.

“Eu fiquei um bom tempo tocando na mão dela, e começou a suar. Como a gente não entende nada de medicina! Só que passaram-se as horas, estava fria a noite, tinha ar-condicionado, e ela com o corpo quente, o rosto corado. A gente achou estranho”, descreve Jesus.

Foi nesse momento, sete horas depois do início do velório, que o filho afirma que a família decidiu conferir se Rosaura estava de fato morta.

“Minha irmã trouxe o aparelho da pressão, e deu 12 por sete. Fez de novo a medição, e chamamos o médico. Ele demorou 40 minutos para chegar. Olhou as pupilas, e não tinham dilatado. Não disse mais nada. Deu as costas e chamou a ambulância. Depois, levou para dentro do pronto-socorro. Passamos por aquela humilhação de carregar a mãe de novo para uma maca, tirar do caxião.”

O filho relata que, quando chegaram ao pronto-socorro, não tiveram mais acesso à mãe. Quando foi permitida a entrada, minutos depois, mostraram os aparelhos e afirmaram que ela estava morta.

Segundo a família, Rosaura tinha bronquite e foi internada com falta de ar, no dia 7 de agosto, para fazer exames. Ficou quase duas semanas no hospital.

De acordo com o atestado de óbito, Rosaura teve uma parada respiratória, em decorrência de um cisto cerebral, às 0h24. O enterro, que estava programado para as 17h, ocorreu às 22h. A família ainda aguarda respostas

“Nós só queremos resolver isso, o que realmente aconteceu com ela. Estava muito bem. Velamos ela duas vezes. É doloroso o que a gente sofreu”, lamenta.

Polícia aguarda necropsia

A Polícia Civil de Bagé aguarda o resultado da necropsia feita pelo legista do Instituto Geral de Perícias para esclarecer a hora exata da morte. De acordo com o delegado Luís Eduardo Sandim Benites, o médico solicitou o boletim de atendimento à Santa Casa, mas o hospital não entregou. Um pedido judicial foi feito para que o hospital libere o documento.

Ao G1, a mantenedora do hospital informou que aguarda o laudo pericial para se pronunciar. A instituição também não se pronunciou sobre a negativa em entregar o boletim de atendimento ao legista do IGP.

Médico explica procedimento para atestar a morte

A morte de um paciente só pode ser atestada por um médico. O G1 procurou um especialista para explicar o procedimento. De acordo com o cardiologista Sérgio Ivo Dedavid, para constatar o óbito é preciso verificar alguns sinais.

“As condições básicas são a ausência de resposta a estímulos dolorosos em pares cranianos, ausência de respiração espontânea e ausência de pulsos e reflexos. As pupilas dos olhos aumentam e não reagem à luz. Ao girar a cabeça, os olhos ficam parados na linha média. Ao tocar na córnea, não há reação. Não há reflexo de tosse quando estiver com tubo traqueal”.

O médico alerta ainda que a avaliação deve ser feita por dois profissionais. “Esses critérios devem ser revisados por dois colegas médicos diferentes, com, no mínimo, de uma até seis horas de diferença, principalmente por neurologistas e intensivistas”.

O cardiologista informou que, ao longo dos anos, com o avanço da medicina, a determinação da morte de uma pessoa passou por mudanças.

“Até final do século XIX, morte era sinônimo de parar de respirar. Com a chegada de estetoscópio, na década 50, a morte era a parada do coração. Com advento de ventilação mecânica e a reanimação cardio-pulmonar, as pessoas não mais morriam, pois eram reanimadas artificialmente. Então, surgiu o conceito da morte cerebral-global como critério de morte, junto outros vários termos para definir morte”.

Dedavid esclarece que atualmente a medicina internacional adota a morte encefálica como critério para definir a morte definitiva. Nesses casos, o paciente é submetido a exames para constatar a ausência de fluxo cerebral.

FONTE- G1

Bebê não espera fim de oração e come escondido da família, vídeo viralizou nas redes sociais

Diante de uma refeição, durante o almoço ou jantar, muitas famílias fazem orações para agradecer o alimento sobre a mesa. Mas parece que algumas pessoas não conseguem esperar o fim do ritual quando sentem o cheiro da comida quentinha ao alcance dos olhos e também do garfo.

Bernardo Busanello, de apenas um ano e sete meses, burlou essa regra. Enquanto sua família orava, o pequeno não conseguiu aguardar pela chegada na hora do “amém” para começar a comer. O caso ocorreu na cidade de Lindolfo Collor, no Rio Grande do Sul.


O vídeoque viralizou na internet foigravado pela avó do garoto, Eliane Bueno. Elemostra a família reunida na mesa fazendo o agradecimento. Nas imagens todos seguem de olhos fechados, mas Bernardo aproveita da situação. E por achar que ninguém o está vendo, tira umas das mãos do rosto e começa a comer a comida que estava no prato. Ao perceber que a oração chegava ao fim, a criança fecha os olhos e depressa diz “amém”. Tentando disfarçar para que ninguém descubra sua traquinagem.

Reprodução/Redes Sociais
(foto: Reprodução/Redes Sociais )

Em conversa com o portal GaúchaZH, a avó revela que sempre faz fotos e vídeos de todos os netos. E que nesse dia, já tendo em vista que Bernardo havia feito a mesma coisa em outra ocasião, solicitou que a tia do menino o filmasse. Porém, ela não imaginou que iria pegar o neto em flagrante daquela maneira. 
Diante dos gestos engraçados do bebê presentes na filmagem, Eliane decidiu compartilhar o vídeo em sua rede social, e logo viu viralizar de maneira inesperada. Até o momento, o vídeo original foi visualizado mais de 8 milhões de vezes, contém 24 mil comentários, pouco mais de 220 mil compartilhamentos e 37 mil curtidas.
“É muito estranho, nunca imaginei que o vídeo faria tanto sucesso. Estamos um pouco assustados”, comenta a avó .

FONTE- UAI – POR TIAGO RODRIGUES

Encapuzados invadem boate, matam 5 com tiros na cabeça e ferem 4 no RS

No Rio Grande do Sul, encapuzados invadiram uma boate no balneário de Mostardas, litoral norte, na madrugada dessa sexta para este sábado (10/08/2019), e abriram fogo contra os frequentadores. Segundo a Brigada Militar de Mostardas e da Polícia Civil gaúcha, a ação deixou cinco mortos – três homens e duas mulheres – e quatro feridos – dois homens e duas mulheres.

O delegado João Marques, à frente do caso, afirmou ao UOL que apurações preliminares apontam que “nenhuma das vítimas possuía antecedentes criminais”. Todos os mortos foram alvejados com tiros na cabeça.

“Estamos com várias equipes nas ruas em buscas destes criminosos e não descartamos nenhuma hipótese”, afirmou o delegado.

De acordo com Gomes, a suspeita é o crime que seja represália de traficantes a algum dos alvos, sejam clientes ou empregados da boate. As testemunhas não quiseram prestar depoimento formal logo após a chacina.

Calibres diferentes
Os pertences das vítimas, como celulares e documentos, foram levados. Dentro da Boate Solidão, às margens da rodovia RSC-101, próximo ao Farol da Solidão, a polícia afirma ter encontrado cápsulas de ao menos três calibres diferentes, entre eles 12, 40 e 9 mm.

Os feridos foram transferidos em estado grave para o hospital de Porto Alegre, a 220 quilômetros de Mostardas.

FONTE- METROPOLES- POR CARLOS ESTÊNIO BASILINO

Estudante brasileiro é encontrado morto na China

O estudante gaúcho Leonardo Cláudio da Rosa foi encontrado morto nesta segunda-feira (15) na cidade de Chongqing, na China. O brasileiro cursava Letras e estava desde o ano passado no país asiático.

A morte do estudante foi confirmada pelo Itamaraty e a UFRGS. A causa ainda não foi divulgada, mas segundo o Instituto de Letras da universidade, Leonardo foi vítima de um crime.

“Faremos o que estiver a nosso alcance para que as autoridades brasileiras busquem junto ao governo chinês o esclarecimento cabal dessa incompreensível tragédia”, informou a UFRGS.

“O Itamaraty também está em contato com os familiares do Sr. da Rosa, com vistas a orientá-los quanto aos trâmites burocráticos para o traslado do corpo”, afirmou o Ministério das Relações Exteriores.

Leonardo era natural de Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, e cursava Letras desde 2015. O estudante de 23 anos estava em um intercâmbio na China para estudar mandarim e a literatura do país asiático.(ANSA)

FONTE- REDETVNOTICIAS